Fechar


Grande Oferta!! Toda linha de Computadores 10% off!!

Adquira já o seu e faça agora um upgrade na sua máquina!!


ACESSE AQUI https://senhorlivreiro.com.br/computadores

Senhor Livreiro © 2022 

Família Homoafetiva: Na Jurisprudência do STF e do STJ - 1ª Edição | 2022
R$89,00
2x de R$44,50    
1x R$89,00 sem juros 2x R$44,50 sem juros

Marca:: EDITORA FOCO
Modelo:: Livro
PRÉ-VENDA


Calcule o frete para sua região

Edição: 1ª Edição
Autor: Juliana Maggi Lima
Acabamento: Brochura
ISBN: 9786555155495
Data de Publicação: 01/08/2022
Formato: 24 x 17 x 0.8 cm
Páginas: 196
Peso: 0.24kg


Sinopse

O presente estudo buscou analisar os contornos jurídicos do atual conceito de família. Para tanto, foi feita análise qualitativa de decisões judiciais selecionadas do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal acerca da família homoafetiva. A escolha da temática de fundo para estudo do conceito jurídico de família se deu em função de se tratar de nova modalidade dessa instituição em termos jurídicos, o que implicou a superação de requisito histórico para a configuração de uma família – a dualidade de gêneros. Antes da efetiva análise jurisprudencial, foram apresentados capítulos com fundamentos teóricos de doutrina jurídica e de outras áreas, como história e ciências sociais, para delimitar as profundas transformações do conceito de família desde o século XIX, que antecederam o reconhecimento judicial da família homoafetiva e o surgimento de novo conceito jurídico: o afeto. A família, como entidade merecedora de especial proteção do Estado no ordenamento jurídico brasileiro, enseja que se saiba quais são os contornos desse conceito, seja para que se estabeleça quem pertence a uma família e, assim, possui direitos e deveres dela decorrentes, seja para que se fixem os atuais conceitos que regem tal entidade. Foi demonstrado que o que se chama comumente de família tradicional envolve noções que não se limitam às usualmente apontadas – dualidade de gêneros e família matrimonial. Essa demonstração é relevante para que se entendam as mudanças na família no sentido jurídico, especialmente ao longo do século XIX, e para que se possa afastar argumentos incompletos sobre a denominada família tradicional. Também foi apresentada a relevância da construção social pelos variados caminhos legitimamente aceitos (demandas judiciais, propostas legislativas etc.) para inovação no conceito de família. A análise das decisões selecionadas demonstrou, assim como o reconhecimento jurídico do divórcio e da união estável, intensa disputa política e social e relevante atuação do Judiciário na formação do conceito de família. Também se demonstrou que a evolução da jurisprudência foi paulatina. A análise buscou conclusões para além do resultado binário das decisões, destacando-se os limites da decisão da ADI 4.277/ADPF 132, em que, por maioria de votos, ficou reconhecida, com efeitos vinculantes, a união estável homoafetiva com o mesmo regramento jurídico da união estável heteroafetiva. Ainda, ficou evidente a necessidade de melhor definição dos conceitos inerentes à família, em especial o afeto ou afetividade, que vêm sendo aplicados em questões de direito de família.
Nota: HTML não suportado.
Avaliação
Ruim Bom

Etiquetas: Direito de Família, STJ, STF, Homoafetividade, IBDFAM, Direito Civil